Pesquisas inéditas revelam comportamento e consumo das mães da classe C

25/01/2014 - Duas pesquisas que traçam o perfil das mães da classe C, com idades entre 18 e 39 anos, algumas pertencentes à geração Y, conseguiram retratar seus hábitos de consumo e seu comportamento em relação aos filhos. O resultado mostrou que elas buscam informação pela internet, são questionadoras, e prezam pela compra de produtos para bebês que aliam praticidade, design e segurança. Ambas foram realizadas pela Cajovil, detentora da marca Adoleta Bebê, empresa brasileira com o mix mais completo em produtos para o bebê e a primeira infância. De acordo com as pesquisas realizadas este ano, as mães da classe média prezam pela durabilidade e funcionalidade dos produtos infantis. Essas mães abrem mão de itens de vestuário e beleza para elas em favor dos filhos e buscam produtos que facilitam seu dia a dia, que ofereçam conforto e segurança ao bebê, além de serem bonitos. Outro dado revelado é que a cor do enxoval é uma das primeiras escolhas e ela procura compor um kit com produtos na cor eleita. Mesmo que o bebê não tenha um quarto só para ele, as mães buscam ambientar uma parte do cômodo usado pelo bebê com objetos decorativos e brinquedos na cor do enxoval. Um dos sonhos de consumo destas mulheres são itens de maior valor como o cadeirão de alimentação, mas muitas não têm espaço em casa ou ainda não conseguem comprá-los por considerarem caro. ?As mulheres ouvidas pela pesquisa aceitam poucas interferências externas quando se trata da criação do filho. Ela é questionadora, bem informada e busca sempre outra fonte de informação. Nesse sentido, as redes sociais e a internet em geral, se destacam como grandes formadoras de opinião?, explica Maurício Caetano, Head de Marketing e Vendas da Adoleta Bebê, empresa que encomendou as pesquisas. Um terço das mães entrevistadas têm acesso às novidades em produtos para bebês pela internet. Para a empresa, investir na realização dessas pesquisas foi fundamental para planejar suas estratégias de comunicação e se posicionar em novas categorias e com novos produtos. ?Adoleta Bebê quer se aproximar das consumidoras, ter mais credibilidade junto a elas e ter dados inéditos sobre suas atitudes e reações na hora da compra, completa Caetano. A empresa também conseguiu conhecer a rotina de cuidados com a criança e tem baseado todas as suas ações de comunicação e marketing nos resultados dessas pesquisas. As Pesquisas -A primeira pesquisa foi um estudo qualitativo com grupos de discussão em capitais do Nordeste e Sudeste onde a empresa buscou identificar as motivações das mães no momento da escolha dos produtos para os bebês. Este primeiro contato trouxe informações valiosas sobre o comportamento destas mulheres em relação aos filhos. A segunda pesquisa foi realizada nas mesmas praças e contou com uma etapa qualitativa e outra quantitativa. Na fase qualitativa foi adotada a metodologia de estudo etnográfico, onde as casas das consumidoras foram visitadas para que os pesquisadores pudessem acompanhar a rotina delas. Em seguida, a etapa quantitativa entrevistou consumidoras nas duas capitais. Ambas foram elaboradas por um instituto de pesquisa internacional, a TNS. A pesquisa qualitativa mostrou que a rotina dessas mães é bastante estressante, muitas são pequenas empreendedoras ou trabalham fora e mesmo as que não trabalham dificilmente conseguem um tempo só para elas. Os maridos e companheiros têm ajudado bastante nos cuidados com os bebês e também nas tarefas da casa, mas a maioria do trabalho ainda fica com a mulher. Mercado e comunicação -O mapeamento do mercado de produtos para bebês no Brasil, de acordo com dados da Abrapur (Associação Brasileira de Produtos Infantis), que compreende a faixa etária dos 0 aos 3 anos, mostra que ele cresce de 9 a 10% ao ano. Já um estudo do Euromonitor afirma que este mercado movimenta 9 bilhões de dólares/ano. Os dados revelam também que as famílias gastam em média R$ 500,00 por mês com o bebê. Desta parcela, é possível perceber que os itens que atingem a classe C são padronizados e aqueles que agregam tecnologia e diferenciais ainda estão fora do alcance deste público. Cajovil -Fundada em 1998, a Cajovil, detentora da marca Adoleta Bebê é a empresa brasileira com o mix mais completo em produtos para o bebê e a primeira infância. Sua linha com mais de 130 itens distribuídos em puericultura leve, puericultura pesada, plásticos e têxtil está adequada aos padrões do Inmetro e de normas internacionais. Com 270 colaboradores, a Cajovil, com sede em Brusque (SC), atua em todo território nacional, além de alguns países da América Latina e África. Seus produtos com a marca Adoleta Bebê podem ser encontrados nos principais hipermercados, supermercados, lojas de departamento, lojas especializadas em bebê e também via ecommerce e catálogos.
Fonte: Portal Fator Brasil - Rio de Janeiro/RJ.


Comentários da notícia