Possibilidade de fechar a USP deve ser discutida amanhã

Causou mal-estar na Universidade de São Paulo (USP) a informação de que governador João Doria pretendia fechar a instituição por causa do coronavírus, noticiada pela Folha de S. Paulo. A USP tem autonomia, garantida pela Constituição, para suas decisões administrativas. A notícia pegou integrantes da reitoria de surpresa e a instituição soltou nota afirmando que as atividades estão normais.

O governo do Estado esclareceu à reportagem, no entanto, que Doria não pretende interferir na decisão, que será do Centro de Contingência para o Coronavírus do Estado de São Paulo, coordenado por David Uip.

Uma reunião do grupo já estava marcada para esta quinta-feira. Segundo o Estado apurou, os reitores das três universidades paulistas (USP, Unesp e Unicamp) devem ser convidados nesta quinta-feira para integrar o comitê.

Foi confirmado nesta quarta-feira, 11, o primeiro caso de coronavírus em um estudantes da USP. Um aluno de graduação da Geografia entrou em contato com a direção do departamento do curso para informar que testou positivo para o vírus.

Apenas o departamento de Geografia, que ocupa um lado do prédio da Faculdade de Filosofia, Letra e Ciências Humanas (FFLCH) foi fechado até agora. O mesmo prédio tem aulas de História e as aulas ocorreram normalmente. O aluno não frequentou muitas aulas e quem teve contato com ele está sendo monitorado.

Reitores da USP, Unesp e Unicamp têm acompanhado as notícias de universidades fechadas fora do País e eventos cancelados. A dificuldade ainda é entender o momento que seria necessário fazer algo parecido por aqui e como as aulas seriam mantidas à distância.

Segundo fontes, a estrutura para isso não é tão robusta e o semestre teria que ser flexibilizado. A Unicamp, por exemplo, tem algumas aulas de seus professores no Youtube. A USP também oferece alguns cursos à distância em Medicina e Educação Física, por exemplo.

A USP também divulgou nota informando que criou nesta quarta-feira o Comitê Permanente USP Covid-19, “que tem como objetivo acompanhar permanentemente a evolução da presença do vírus entre alunos, professores e servidores técnicos e administrativos da Universidade, em todos os campi da USP, bem como realizar atualizações periódicas das recomendações da autoridade sanitária.” Ele é presidido pelo superintendente de Saúde da USP e do Hospital Universitário (HU), Paulo Ramos Margarido. A nota diz ainda que esse comitê fará a interface de comunicação com as autoridades sanitárias estaduais e federais.

USP, Unesp e Unicamp são financiadas por 9,57% da arrecadação do ICMS do Estado, mas são autônomas para decidir que cursos irão oferecer, por exemplo, ou como se organizarão do ponto de vista administrativo.


Fonte: https://educacao.estadao.com.br/blogs/blog-renata-cafardo/ideia-de-doria-de-fechar-a-usp-causa-mal-estar-na-instituicao/


Comentários da notícia