Como a Tata Consulting Services reformulou seus talentos rumo à transformação digital

Com mais de 400.000 associados em mais de 70 países, a Tata Consulting Services não tem escassez de talentos. Mas em 2016, com a transformação digital e a interrupção do setor, a liderança da Tata reconheceu que a força de trabalho da empresa precisava de uma maneira de aprender habilidades digitais valiosas.

Para fazer isso, o TCS precisava revisar sua abordagem de aprendizado e desenvolvimento, que era individualizada e aleatória, além de lenta e ineficiente. Por isso, decidiu renovar sua plataforma de aprendizado usando uma arquitetura baseada em microsserviços, para fornecer conteúdo com curadoria e cursos certificados externamente e integrar-se perfeitamente a aplicativos de aprendizado como Lynda, Skillsoft e Safari - tudo em uma plataforma para atender às demandas dos alunos em escala.

Requalificação em escala

"Nossa estratégia sempre foi atrair os melhores talentos globais, capacitando-os novamente e transformando-os para promover a inovação orientada para resultados, criar uma cultura de alto desempenho. A diferença desta vez foi a escala em que isso precisava ser feito e como estávamos usando a tecnologia para democratizar o processo de desenvolvimento de talentos em geral”, explicou Ashley Fernandes, Chefe de Programas de Desenvolvimento de Talentos Digitais da TCS.

Atender às necessidades de aprendizado de mais de 436.000 funcionários em todo o mundo foi um desafio significativo. "Precisávamos alavancar o conhecimento existente do nosso pessoal sobre o setor e seus clientes e, em seguida, capacitá-los novamente para garantir que eles pudessem cumprir as metas de transformação digital dos clientes", diz ele.

Para isso, a TCS desenvolveu a Iniciativa de Aprendizagem em Grupo, Learn4Life, uma plataforma de aprendizado integrada usando padrões de design nativos da nuvem. A plataforma, que se concentra nas habilidades de nuvem, DevOps, IA e Machine Learning, foi construída com foco principal na experiência do usuário, escalabilidade exponencial, resistência a falhas, análises abrangentes, capacidade elástica e capacidade de responder continuamente às mudanças, diz Abhijit Mazumder, CIO na TCS. O Learn4Life ganhou do TCS um prêmio FutureEdge 50 por aplicativos de tecnologias emergentes.

"Um dos maiores desafios era que essas habilidades digitais eram realmente novas e as aulas e laboratórios nem sempre podiam ser entregues pessoalmente. Tivemos que criar, gerar e entregar esse conteúdo em qualquer lugar, a qualquer hora e em qualquer dispositivo, e dividir as peças em pequenos pedaços para que pudéssemos atender a demanda das agendas do nosso pessoal", conta.

A plataforma inclui laboratórios virtuais e aprendizado prático que permite aos associados escrever código e executá-lo, a partir de qualquer dispositivo. "Há muito aprendizado experimental usando exemplos reais", diz Mazumder.

Segundo Fernandes, a solução é única no setor, não apenas por seu tamanho e escala, mas porque também se integra a muitos cursos de certificação externos e aplicativos de aprendizado. Além de Lynda, Skillsoft e Safari, o conteúdo da Udemy, Fresco Play e Magzter também está disponível.

Promovendo uma cultura de aprendizado

Mazumder conta que, além dos ambientes de laboratório incorporados e dos tradicionais cursos on-line, a plataforma de aprimoramento gamificado e móvel inclui hackathons, avaliações, desafios de codificação ágil, questionários, conexões com especialistas no assunto e bootcamps para ajudar os associados a assumirem funções de consultoria. A solução também usa estudos de caso da abordagem MVP e aproveita a IA e o processamento de linguagem natural por meio de bots para fornecer produtos e serviços de aprendizado.

"Queríamos tornar o aprendizado ‘viciante’, por assim dizer, para cumprir nosso objetivo de fazer com que nossos funcionários voltassem à plataforma e aprendessem cada vez mais", fala. "É incrivelmente personalizável, para que cada pessoa possa adaptá-lo aos tipos de coisas que deseja aprender, bem como à maneira como aprendem melhor", complementa Mazumder.

Segundo o CIO, a iniciativa mede o progresso dos associados usando um algoritmo interno que mede a amplitude e a profundidade das habilidades dos associados para avaliar sua rapidez e então serem implantados em projetos.

No total, foram criados mais de 21.000 cursos para o Learn4Life, aproveitando o conhecimento de mais de 6.500 especialistas no assunto. A plataforma também hospeda cerca de 60 ambientes práticos de laboratório. “Agora, nós alcançamos cerca de 315.000 dos nossos associados, com cerca de 2,2 milhões de competências digitais adquiridas, o que representa uma média de sete habilidades digitais por pessoa. Também ajudamos a transformar vários milhares de pessoas em consultores", diz Mazumder.

A rubrica de pontuação da TCS, conhecida como Fator T, mede as habilidades dos associados. De acordo com o CIO, isso ajuda o TCS a identificar seus melhores talentos, que podem ser implantados como consultores em projetos críticos. Ele conta que graças à plataforma, a TCS agora pode atender uma parcela significativa da demanda de talentos digitais por meio de esforços internos de qualificação, contando minimamente com contratações externas, contratando apenas para novas habilidades de nicho regionais.

"Este tipo de projeto não é para os fracos de coração. Tem que vir de cima para baixo. Idealmente, o CIO deve conduzir isso. Tem que ser um mandato em toda a organização, porque você precisa aceitar o fato de que não se trata apenas de habilidades, mas de uma mudança de cultura para uma que abraça o aprendizado e o crescimento contínuo”, comenta.

Mazumder diz ainda que vê muitas empresas promissoras tentando fazer isso. “Mas temos cinquenta anos de idade como empresa. Se podemos aceitar e fazer essa alteração, qualquer um pode. Você precisa ter confiança e determinação para chegar lá”, afirma.



Fonte: https://cio.com.br/como-a-tata-consulting-services-reformulou-seus-talentos-rumo-a-transformacao-digital/


Comentários da notícia