Quais as três tendências principais da educação em 2020?

A educação está passando por uma profunda transformação em todo o mundo. As chamadas edtechs - tecnologias aplicadas à educação - estão permitindo uma nova experiência no processo de aprendizado, sobretudo no ensino superior. As mudanças tendem a dar maior flexibilidade e mais autonomia aos alunos.

Elas também permitem que os professores e coordenadores de curso acompanhem com mais eficiência o desempenho dos alunos, através dos dados fornecidos pelas plataformas de ensino. Instituições de que não se adaptarem à nova realidade perderão competitividade.

Para garantir um início de ano letivo bem informado, o Canvas, plataforma de ensino a distância usada pelas melhores universidades do mundo, preparou uma lista com três edtechs que vão mudar o panorama da educação em 2020.

Ensino híbrido

A modalidade híbrida, ou semipresencial, tem crescido rapidamente no Brasil. Isso acontece porque ela combina as vantagens do ensino presencial, como a possibilidade de fazer aulas práticas - em laboratório, por exemplo -, sob supervisão do professor, com a flexibilidade do ensino online. Hoje, estudantes que vivem em cidades do interior, conseguem cursar medicina graças ao ensino híbrido. As aulas teóricas são feitas em casa, pela internet. E a cada quinze dias, o aluno vai até a sede da universidade para fazer as aulas práticas, fundamentais em cursos como medicina, enfermagem, engenharia e outros. Em um país de dimensões continentais como o Brasil, essa mudança possibilita a inclusão de milhares de jovens todos os anos no ensino universitário.

Uso de big data

O uso de big data no setor da educação oferece oportunidades sem precedentes para os educadores, dando-lhes uma compreensão mais profunda do processo educacional dos alunos. Escolas, universidades, faculdades e instituições educacionais costumam armazenar grandes quantidades de dados relacionados a alunos e professores. Esses dados podem ser analisados para obter insights, melhorando a eficiência das instituições. Variáveis como o comportamento do aluno, os resultados dos exames e o desenvolvimento de cada aluno, bem como suas necessidades educacionais, podem ser monitoradas com frequência, através de análise estatística. Com a ajuda de analytics, instituições e ensino podem criar programas personalizados, mesmo em grandes universidades.

Educação baseada em competências

A educação baseada em competências (EBC), um conceito que surgiu nos Estados Unidos há mais de 50 anos devido às preocupações de que os estudantes não desenvolviam as habilidades necessárias para a vida fora da sala de aula, começou aos poucos a ter mais presença nos programas educativos das universidades brasileiras. A mudança de paradigma se deve principalmente ao fato de que cada vez mais empresas exigem habilidades, e não qualificações. Mais importantes que notas ou o título universitário, são as técnicas e os conhecimentos acumulados, para que uma pessoa cumpra com os requisitos de um cargo especializado. A educação baseada em competências possui vantagem: o estudante determina o seu próprio ritmo de aprendizado.


Fonte: https://www.terra.com.br/noticias/dino/quais-as-tres-tendencias-principais-da-educacao-em-2020,7e2b0cf7c35a2639c59726168e024519bhtdwel8.html


Comentários da notícia