Assistentes de voz podem ser a solução para o esgotamento dos médicos

Enquanto assistentes virtuais como Alexa e Siri ganham cada vez mais espaço na vida das pessoas, o setor da saúde está na vanguarda na adoção dessas tecnologias de inteligência artificial. De acordo com especialistas, essas soluções podem aumentar a produtividade e ajudar a evitar o esgotamento dos médicos.

Os aplicativos de voz não são novidade para a área da saúde, que vem utilizando softwares de transcrição para digitalizar consultas há algum tempo. No entanto, os avanços na inteligência artificial têm permitido a criação de assistentes virtuais que podem entender o contexto e a intenção dos profissionais.

Hoje, as tecnologias são capazes de inserir notas sobre os pacientes diretamente em seus prontuários quando ditados pelo médico, economizando tempo e esforço do profissional. Harjinder Sandhu, CEO da Saykara, startup de saúde, afirma que os médicos gastam, em média, duas horas registrando informações sobre os pacientes para cada hora de atendimento.

Para facilitar esse processo, a companhia desenvolveu uma solução para liberar os médicos das tarefas burocráticas, permitindo que eles mantenham o foco no paciente. A startup, criada em 2017, recebeu 5 milhões de dólares de investimento para o desenvolvimento de sua assistente virtual, Kara.

Sandhu observa que, após uma atualização recente do sistema, a Kara se tornou o primeiro assistente de IA com capacidade de ser acionada sem o comando do usuário. Em vez disso, o software escuta o médico descrevendo os sintomas de um paciente e começa o seu trabalho. Isso torna a tecnologia menos intrusiva e facilita atendimentos mais naturais com o paciente.

Segundo o executivo, a abordagem tem trazido benefícios adicionais. "Isso realmente melhora a relação médico-paciente", explica. “Muitas vezes o que acontece é que o paciente diz alguma coisa e o médico interpreta em sua cabeça o que pode estar acontecendo. E agora, os médicos que usam nosso sistema estão dizendo suas observações em voz alta que, do contrário, teriam mantido em sua mente ou apenas digitado sem compartilhar com o paciente. Os pacientes agora estão ouvindo o que o médico está pensando durante todo o processo.”

Desde o seu lançamento, a Kara está sendo utilizada por 20 instituições de saúde nos Estados Unidos, e a empresa vê potencial para atrair mais dos 850 mil médicos ativos em todo o país. Os usuários da assistente já viram uma redução de 70% do tempo gasto em documentação dos procedimentos fora do horário de expediente.

Combate ao esgotamento médico

A capacidade de gerenciar sua carga de trabalho é um tópico importante para os médicos, já que mais da metade dos profissionais dos EUA relatam sintomas de esgotamento. Além de afetar o bem estar dos próprios médicos, o burnout influencia o resultado do tratamento dos pacientes. Estima-se que esse esgotamento custará bilhões de dólares aos hospitais, conforme aponta relatório publicado no Annals of Internal Medicine.

O aumento da pressão é parcialmente atribuído à introdução de sistemas de registro de pacientes, que exigem que os médicos insiram informações depois de cada atendimento. "Se não for controlado, o desgaste do médico pode impactar negativamente o atendimento ao paciente, reduzir a produtividade e aumentar os custos para as instituições de saúde", diz Gupta.

Potencial dos assistentes de voz nos cuidados de saúde

A adoção de assistentes de voz por parte dos médicos está em estágio inicial e, embora haja muita promessa, Gupta afirma que há alguns desafios para a popularização da solução. Apesar da tecnologia de reconhecimento de voz estar melhorando nos últimos anos, a confiança nos sistemas ainda é uma dificuldade a ser vencida.

"Mesmo uma taxa de erro de 0,01% pode causar estragos na vida do paciente se isso se tornar um erro médico", explica Gupta. “A capacidade de entender o que o usuário está dizendo de maneira precisa, sem que o usuário precise repetir as coisas, é fundamental.”

Enquanto os assistentes virtuais amadurecem, recursos adicionais proporcionam melhor utilidade. “A maioria dos atuais assistentes de voz está apenas inserindo os dados no prontuário”, observa Gupta. “Para ser verdadeiramente transformacional, os assistentes de voz devem se tornar o suporte de decisão clínica no atendimento, apoiando também o médico buscando as informações mais relevantes.”



Fonte: https://cio.com.br/assistentes-de-voz-podem-ser-a-solucao-para-o-esgotamento-dos-medicos/


Comentários da notícia