BB oferece linha de crédito para pagamento de tributos de pequenos negócios

21/01/2014 - O Banco do Brasil anunciou na segunda-feira (20) a reabertura das contratações da sua linha de crédito para financiar os impostos das micro e pequenas empresas que faturam até R$ 3,6 milhões por ano. Em 2013, a modalidade de crédito atendeu 32 mil empresas, com aproximadamente R$ 1 bilhão em recursos liberados. A solução foi criada para atender à demanda dos empresários, principalmente ligados ao comércio, que precisam de recursos para quitar os tributos incidentes logo no início do ano, cujos valores são, na maioria das vezes, mais elevados em função do aquecimento das vendas do Natal, férias e volta às aulas, de acordo com a instituição. O prazo de pagamento pode chegar a 24 meses, contando com carência de até três meses para pagar a primeira prestação. A taxa mínima é de TR (Taxa Referencial) mais 1,43% ao mês. Segundo o banco, os empréstimos podem ser contratados com garantias reais ou pessoais. Para a empresa que não conta com garantias suficientes, a instituição oferece o FGO (Fundo de Garantia de Operações), que garante até 80% do valor da operação e possibilita ao cliente acessar taxas mais atrativas. A disponibilização da linha de crédito faz parte da parceria celebrada entre o Banco do Brasil e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). O vice-presidente de Agronegócios e Micro e Pequenas Empresas do BB, Osmar Dias, diz que o apoio oferecido pela instituição nesse início de ano, é fundamental para que os empresários paguem seus tributos com maior tranquilidade. "A linha de crédito disponibilizada supre uma lacuna no fluxo financeiro das empresas e demonstra o compromisso do BB em viabilizar soluções adequadas às necessidades do segmento." De acordo com o BB, as contratações podem ser realizadas até 31 de março de 2014 ou até o término dos recursos. Para ter acesso ao empréstimo, a empresa precisa ser correntista do BB e possuir cadastro e limite de crédito analisados.
Fonte: Do UOL, em São Paulo (SP)


Comentários da notícia