Confira o Raio-X da educação no Brasil segundo estudo da OECD

03/04/2014 - Estudo realizado pela OECD com base nas notas de estudantes de 15 anos no PISA fornece um Raio-X da educação no Brasil. Confira 33.7% dos estudantes brasileiros disseram chegar à escola atrasados nas duas semanas anteriores ao PISA A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OECD) divulgou na ter-feira (1°) um estudo baseado nas notas obtidas por estudantes de 15 anos de 44 países no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA). A pesquisa fornece um panorama da educação no Brasil segundo diversos critérios, como a motivação, o engajamento e as disciplinas em si. Confira: Matemática • Os estudantes brasileiros obtiveram uma nota de 391 de 600 nos testes de matemática na última edição do PISA, realizado em 2012. Essa pontuação é considerada abaixo da média mundial. • Em 2003, a pontuação dos alunos brasileiros foi de 356 pontos. • 67.1% dos estudantes teve a sua performance considerada baixa, o que significa que eles podem extrair informações relevantes de uma fonte e usar algoritmos básicos, fórmulas e conversões para resolver problemas lógicos. • Apenas 1.1% dos estudantes teve sua performance considerada alta, sendo capazes de desenvolver fórmulas para situações e complexas e desenvolver estratégias diferenciadas de pensamento crítico e racionalidade para resolver os problemas. • Estudantes do sexo masculino obtiveram em média 18 pontos a mais do que as meninas. Leitura • A nota média obtida pelos estudantes brasileiros na prova de leitura foi de 410 pontos de 600. A média também é considerada insuficiente. Em 2000, essa nota era de 396 pontos. • Quase a metade dos estudantes (49.2%) ficou abaixo do esperado na prova de leitura. Isso significa que essa porcentagem dos estudantes é capaz de reconhecer o tema principal ou a ideia do autor em um texto com assunto familiar, fazendo uma conexão simples com o seu cotidiano. • Apenas 1 a cada 200 estudantes foi capaz de lidar com textos que não apresentam conteúdo familiar e analisar os mesmos. • A nota de estudantes do sexo feminino foi maior em relação aos meninos em aproximadamente 38 pontos. Ciências • 61% dos estudantes brasileiros obtiveram uma nota baixa na prova de ciências, ou seja, eles são capazes de apresentar experimentos científicos que são óbvios e seguir evidências explícitas dos mesmos. • Apenas 0.3% dos participantes foi capaz de identificar, explicar e aplicar o conhecimento científico em uma variedade de situações cotidianas. Não houve melhora em relação aos anos passados. Resiliência • Apenas 1.9% dos estudantes foi considerado resiliente, ou seja, capaz de atuar sob pressão e adaptar-se à mudanças. Engajamento • 33.7% dos estudantes brasileiros disseram chegar à escola atrasados nas duas semanas anteriores ao PISA. • 20.7% dos participantes disseram que faltaram na escola um dia ou mais nesse mesmo período. • 85% dos estudantes afirmaram sentir-se felizes na escola, enquanto 73% declararam estar satisfeitos com o ambiente, porém apenas 39% diz acreditar que as condições de ensino são ideais em suas instituições. Escola pública x escola privada • 13% dos estudantes brasileiros frequentam escolas privadas. As notas desses estudantes no PISA foram maiores do que aqueles que frequentam instituições públicas. Reprovação • Mais de 1 a cada 3 estudantes (36%) de 15 anos já repetiu algum ano no ensino primário ou secundário. ionalidade para resolver os problemas. • Estudantes do sexo masculino obtiveram em média 18 pontos a mais do que as meninas. Leitura • A nota média obtida pelos estudantes brasileiros na prova de leitura foi de 410 pontos de 600. A média também é considerada insuficiente. Em 2000, essa nota era de 396 pontos. • Quase a metade dos estudantes (49.2%) ficou abaixo do esperado na prova de leitura. Isso significa que essa porcentagem dos estudantes é capaz de reconhecer o tema principal ou a ideia do autor em um texto com assunto familiar, fazendo uma conexão simples com o seu cotidiano. • Apenas 1 a cada 200 estudantes foi capaz de lidar com textos que não apresentam conteúdo familiar e analisar os mesmos. • A nota de estudantes do sexo feminino foi maior em relação aos meninos em aproximadamente 38 pontos. Ciências • 61% dos estudantes brasileiros obtiveram uma nota baixa na prova de ciências, ou seja, eles são capazes de apresentar experimentos científicos que são óbvios e seguir evidências explícitas dos mesmos. • Apenas 0.3% dos participantes foi capaz de identificar, explicar e aplicar o conhecimento científico em uma variedade de situações cotidianas. Não houve melhora em relação aos anos passados. Resiliência • Apenas 1.9% dos estudantes foi considerado resiliente, ou seja, capaz de atuar sob pressão e adaptar-se à mudanças. Engajamento • 33.7% dos estudantes brasileiros disseram chegar à escola atrasados nas duas semanas anteriores ao PISA. • 20.7% dos participantes disseram que faltaram na escola um dia ou mais nesse mesmo período. • 85% dos estudantes afirmaram sentir-se felizes na escola, enquanto 73% declararam estar satisfeitos com o ambiente, porém apenas 39% diz acreditar que as condições de ensino são ideais em suas instituições. Escola pública x escola privada • 13% dos estudantes brasileiros frequentam escolas privadas. As notas desses estudantes no PISA foram maiores do que aqueles que frequentam instituições públicas. Reprovação • Mais de 1 a cada 3 estudantes (36%) de 15 anos já repetiu algum ano no ensino primário ou secundário.
Fonte: Universia Brasil


Comentários da notícia