Resultado do Amazonas no índice PISA é discutido pelo deputado Marcelo Ramos

03/04/2014 - O resultado do índice do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA), onde o Amazonas aparece como penúltimo colocado em qualidade de educação na área de matemática, numa avaliação nacional, foi analisado pelo deputado estadual Marcelo Ramos (PSB), em pronunciamento, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), na terça-feira. Na opinião do parlamentar, o resultado do PISA tem que ser analisado de forma mais profunda, pois ele dá sinais claros e importantes ao povo do Amazonas de que educação não pode ser construída com demagogia, mentira e pirotecnia. Ramos lembrou que o Amazonas é o quarto Estado mais rico do país e possui a quarta maior arrecadação per capita, no entanto consegue ser o penúltimo na qualidade do ensino de matemática. “Esses números demonstram uma absoluta desconexão nos últimos anos, entre o índice orçamentário do Estado e da educação. É um absurdo o Amazonas ficar cada vez mais rico, batendo os 14 bilhões em arrecadação este ano, e na outra ponta os serviços públicos estarem degradados a cada dia e o número de miseráveis, abaixo da linha da pobreza. O governo do Estado precisa explicar como arrecadou tanto e o povo empobreceu e a educação está muito mal”, resumiu. A sugestão do deputado, para mudar esse quadro, é a realização de um “pacto pela educação”, que não passaria pela demagogia e somente por construção de prédios, mas por uma política de investimentos na carreira dos professores, garantindo a valorização do mérito; investimentos programas de moradias estudantis e garantias para evitar a evasão escolar, por exemplo. “Precisamos dar um passo efetivo para mudar essa situação e não acharmos que estamos andando nos trilhos com esses números”, enfatizou. Pisa O Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA) – desenvolvido e coordenado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – é uma iniciativa internacional de avaliação comparada, aplicada a estudantes na faixa dos 15 anos, idade em que se pressupõe o término da escolaridade básica obrigatória na maioria dos países.. No Brasil, o Pisa é coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O objetivo do Pisa é produzir indicadores que contribuam para a discussão da qualidade da educação, de modo a subsidiar políticas de melhoria do ensino básico. A avaliação procura verificar até que ponto as escolas de cada país participante estão preparando seus jovens para exercer o papel de cidadãos na sociedade contemporânea. As avaliações do Pisa acontecem a cada três anos e abrangem três áreas do conhecimento – Leitura, Matemática e Ciências – havendo, a cada edição do programa, maior ênfase em cada uma dessas áreas. Além de observar as competências dos estudantes em Leitura, Matemática e Ciências, o Pisa coleta informações para a elaboração de indicadores contextuais, os quais possibilitam relacionar o desempenho dos alunos a variáveis demográficas, socioeconômicas e educacionais. Essas informações são coletadas por meio da aplicação de questionários específicos para os alunos e para as escolas. Os resultados podem ser utilizados pelos governos como instrumento de trabalho na definição e refinamento de políticas educativas, procurando tornar mais efetiva a formação dos jovens para a vida futura e para a participação ativa na sociedade.
Fonte: Amazonas Notícias - Manaus/AM


Comentários da notícia