Contagem regressiva para o sonho de uma faculdade pública

03/01/2014 - O ano mal começou e os candidatos que almejam cursar o ensino superior em uma das faculdades públicas do País por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vivem nova expectativa. É a inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) de 2014. O período de cadastramento, segundo o Ministério da Educação, começa nesta segunda-feira e vai até às 23h59 de sexta-feira, dia 10. A primeira lista de aprovados será divulgada no dia 13. Mesmo não sabendo ainda a nota que tirou no Enem 2013 - obrigatória para a inscrição no Sisu - o aluno Gabriel Murad Takao, 18 anos, já tem na ponta da língua as duas escolhas. Ele vai disputar uma vaga no curso de medicina na Universidade Federal Fluminense (UFF), no Rio de Janeiro ou na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), em Minas Gerais. “Essa é a segunda vez que tento uma vaga em uma universidade pública pelo Sisu.” O estudante já foi aprovado em medicina na Pontifícia Universidade Católica (PUC), que é uma instituição privada. Para ele, este seria um “plano b” caso não alcance suas metas no Sisu e também caso não consiga ingressar na Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp) pelo vestibular. O MEC não divulgou ainda o número total de vagas. O único número divulgado até o momento para a região de Rio Preto são as 320 vagas oferecidas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP). Elas estão divididas entre Barretos, Catanduva e Votuporanga. Com base no site do Sisu, é possível constatar que a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) é a instituição que oferece o maior número de vagas: 7.555. Em seguida estão as federais do Ceará, com 6.378 vagas; Bahia, 5.938; Sergipe, 5.440; e Mato Grosso, 5.408. Minas Gerais é o Estado com o maior número de vagas disponíveis (20.029) e Tocantins, com menor número: 624. Como participar O Sisu seleciona estudantes com base nas notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Nesta edição, a inscrição estará restrita ao candidato que tenha participado da edição de 2013 do Enem e não tenha tirado zero na prova de redação. Ao entrar no site oficial ( sisu.mec.gov.br/sisu), os estudantes poderão checar todas as vagas disponíveis para a seleção. Porém, cada candidato só poderá se inscrever em duas opções de vagas. No ato da inscrição será preciso escolher, em ordem de preferência, a instituição, o local de oferta, o curso e o turno em que ele é ministrado. Alunos que sempre estudaram na rede pública de ensino ou são negros, pardos e indígenas devem informar que pretender disputar uma vaga pelo pelo sistema de cotas, garantida por lei federal. Durante o período de inscrição, o candidato poderá trocar suas opções no sistema quantas vezes quiser. Nos cinco dias de prazo. o Sisu informará a nota de corte de cada curso, que é a nota mínima no Enem para ser aprovado naquele curso escolhido, segundo o número total de inscritos e o número de vagas oferecidas. Somente serão consideradas as últimas opções cadastradas no momento do fechamento das inscrições. Dicas Para atingir o objetivo, o diretor do cursinho SEB COC de Rio Preto, Luiz Octavio Teixeira Stocco, aconselha que o aluno monte uma estratégia de monitoramento. “Assim que souber a nota que tirou no Enem ele deve recorrer à classificação do Sisu do ano passado e ver qual foi a menor nota de corte. Daí terá uma noção se com a nota dele é possível ingressar na faculdade que deseja. Caso contrário, opte por universidades menos disputadas. O andamento das inscrições deve ser monitorado diariamente.” Apesar das possibilidades oferecidas pelo Sisu, o diretor destaca que é preciso estar preparado para lidar com a frustração. “O Sistema trouxe a democratização da educação superior, possibilitando que alunos acessem universidades que nunca pensaram ingressar. Mas eles devem estar preparados para a reprovação. Se não conseguirem, a solução é continuar estudando e manter o foco.” Notas do Enem saem até amanhã De acordo com o MEC, os resultados do Enem 2013 estão previstos para ser divulgados entre hoje e amanhã. A inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), no Programa Universidade para Todos (Prouni), no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ou no Ciência sem Fronteira é feita com base na nota obtida. Todos são programas oferecidos pelo governo, com o objetivo e incentivar e facilitar o acesso ao ensino superior. Cerca de 5 milhões de estudantes participaram do Enem ano passado. Para concorrer a uma das vagas é necessário que o aluno não tire zero na redação. A metodologia de correção utilizada Enem é a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Neste modelo estatístico, o valor de cada uma das questões varia de acordo com o percentual de acertos e erros naquele item. Um item que teve alto índice de acertos será considerado fácil e, por essa razão, valerá menos pontos na composição da nota final. Já o estudante que acertar uma questão que teve um alto índice de erros ganhará mais pontos pelo item. O cálculo é feito pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Já a redação é corrigida com base na observação de cinco competências que estão definidas no Manual de Redação do Guia do Candidato. A nota varia de zero a dez. Para saber se foi bem na prova, o estudante deverá comparar seu desempenho em uma escala construída pelo Inep com as notas mínimas e máximas obtidas.
Fonte: Diario Web - São José do Rio Preto/SP


Comentários da notícia