Escola pública vira colégio militar e cobra por matrícula e mensalidade

11/01/2014 - Segundo a Secretaria de Educação de Goiás, algumas escolas estaduais vão passar a ser administradas pela Polícia Militar e, por isso, a PM pode cobrar pela matrícula e pela mensalidade A Escola Estadual Fernando Pessoa, em Valparaíso, já está cobrando pelos serviços da instituição. A partir deste semestre, o colégio, que era público, se tornou uma instituição militar e já está cobrando R$ 100 pela matrícula, R$ 50 de mensalidade e cerca de R$ 150 pelo uniforme. Inconformados e sem condições de manter os filhos na escola, os pais já estão procurando outros colégios para matricularem os filhos, porém, a maioria das escolas consultadas pelos pais, não possuem mais vagas. Os pais recorreram ao Ministério Público, que vai garantir na Justiça a vaga de quem não tem condições de arcar com os custos do colégio. Segundo a Secretaria de Educação de Goiás, algumas escolas estaduais vão passar a ser administradas pela Polícia Militar e, por isso, a PM pode cobrar pela matrícula e pela mensalidade. No entanto, a parte pedagógica vai continuar sendo administrada pela secretaria, que disse também que os pais dos alunos foram avisados desde o ano passado. Ainda de acordo com a Secretaria de Educação, a matrícula é feita como no Distrito Federal, pelo telematrícula. O prazo termina amanhã e quem não conseguir matricular o filho na escola mais perto de casa vai conseguir vaga em outro colégio. No Novo Gama, a escola José de Alencar também se tornou uma instituição militar e deixou os pais dos alunos revoltados. No entanto, o diretor do colégio tranquilizou os pais e garantiu que os alunos que já estudavam na escola não vão ficar sem aulas por conta da cobrança. TV Brasília
Fonte: Correio Braziliense / DF


Comentários da notícia