Com alta empregabilidade e concorridos vestibulares, ingressar em medicina pela nota do ENEM é atrativo para os estudantes

Para milhares de estudantes brasileiros, a carreira na medicina é a certeza de um futuro promissor. Com um índice de empregabilidade de 97%, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), e uma das profissões mais bem pagas, segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), os cursos de medicina atraem candidatos de todos os cantos do país para os seus concorridos vestibulares.

Neste cenário, a distância se torna o menor dos obstáculos para os candidatos que desejam ocupar uma vaga nas faculdades de medicina. É comum que estudantes viajem o país, participando de diversos processos seletivos em estados diferentes, em busca da realização do seu sonho.

Em muitos casos, o choque de datas de exames se apresenta como um empecilho. Com uma quantidade limitada de finais-de-semana nos últimos meses de cada semestre, em relação à quantidade de instituições de ensino superior que oferecem vestibulares para o referido curso, é comum que os estudantes tenham que optar entre viajar para participar de um processo seletivo em detrimento de outro.

Uma solução é a modalidade de ingresso por aproveitamento da nota do ENEM, que dispensa a necessidade de comparecer presencialmente à prova de vestibular e pode ser feita completamente online.

Uma Instituição de Ensino Superior que oferece esta possibilidade é o Centro Universitário Inta (UNINTA), com conceito de excelência, localizado em Sobral-CE, cidade referência em ensino superior. No site da instituição, o aluno só precisa fazer a inscrição, informando sua melhor nota do ENEM a partir de 2016, efetuar o pagamento da taxa e automaticamente está concorrendo a uma das vagas oferecidas, em um processo todo feito em minutos, na frente do computador.

Esta possibilidade atrai estudantes como Aline de Carvalho Lima, 37 anos. Natural de Fortaleza, a acadêmica abandonou o 7° semestre do curso de direito em Fortaleza e o emprego como gerente de vendas em uma grande empresa para perseguir o sonho de ser médica. Com a facilidade do ingresso pela nota do ENEM, a estudante integra o alunado da Faculdade de Medicina do UNINTA desde 2016.

“Desde quando terminei o ensino médio, em 1999, eu tento entrar em Medicina, mas por alguns acasos da vida eu tive que desistir do meu sonho, foi quando decidi cursar Direito. Quando fiquei sabendo da possibilidade de ingressar pela nota do ENEM, eu larguei tudo e corri atrás do meu desejo de ser médica”, colocou.

Aline conta que, além de estudar o conteúdo para o ENEM, também pesquisava as instituições que tinham as melhores notas no conceito do MEC e que ofereciam a excelência como parâmetro de educação.

“Eu estudei muito para conseguir uma boa nota no exame e, ao mesmo tempo, busquei a história das faculdades de Medicina no Ceará, foi assim que conheci o UNINTA, que é uma instituição de grande referência no estado e que oferece uma estrutura de ponta para os acadêmicos. Foi aí que comecei a enxergar o meu sonho mais perto”, declarou.

Aline é mais um exemplo de superações e realizações. Ainda em sua adolescência sofreu com a morte dos pais, mas nunca desistiu de lutar pelos seus ideais. “Uma hora a vida cobra o sonho que você sempre teve, mais cedo ou mais tarde isso vai acontecer”.

Existem muitas “Alines” espalhadas pelo país, são histórias que compartilham do mesmo sonho e até das mesmas dificuldades. Tornar a caminhada do sonho à conquista mais fácil motiva o UNINTA a aceitar o ingresso pela nota do ENEM, oferecendo ao estudante a vantagem de só precisar comparecer pessoalmente à instituição no período de matrícula, depois de sua aprovação no processo seletivo.

“Com o ENEM podemos concorrer a vagas em todo o Brasil para o mesmo curso, fazendo apenas uma prova, sem que haja a necessidade de nos deslocarmos até a região da instituição”, declarou Aline.


Fonte: https://exame.abril.com.br/negocios/dino/com-alta-empregabilidade-e-concorridos-vestibulares-ingressar-em-medicina-pela-nota-do-enem-e-atrativo-para-os-estudantes/


Comentários da notícia