Gasto com educação e ciência em baixa

O investimento federal em educação, ciência e cultura, áreas fundamentais para o desenvolvimento econômico do País, teve um leve aumento na comparação com o ano passado. Mas, mesmo assim, continua pequeno ou mal direcionado, segundo especialistas.

No caso do Ministério da Educação, os aportes executados entre janeiro e julho deste ano somaram R$ 472,9 milhões, de acordo com dados do Tesouro Nacional. Em igual período de 2017, o valor ficou em R$ 314,2 milhões. “Esses R$ 470 milhões são uma gota no oceano que é o orçamento brasileiro”, diz Istvan Kasznar, professor de economia da Fundação Getulio Vargas (FGV). Em linha com outros especialistas consultados pelo DCI, Kasznar afirma que os gastos com educação são desproporcionais e insuficientes. Ele cita o caso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). “Eles gastam quase tudo com pessoal, deixando pouco dinheiro para projetos importantes.”

Em 2017, a instituição usou 87% de seu orçamento com o pagamento de aposentadorias e salários de servidores, segundo o Ministério da Educação. No mesmo ano, os dispêndios com a preservação do Museu Nacional diminuíram, o que colaborou para o incêndio que destruiu o casarão no começo do mês.

Entretanto, Kasznar afirma que a realocação dos recursos não seria o suficiente para resolver problemas. “Desde que a recessão começou, a educação passou por diversos cortes, piorando as condições de professores e escolas pelo País”, entende. Entre os problemas decorrentes do baixo investimento, o especialista menciona os baixos salários da maioria dos docentes e a estrutura ruim das instituições de ensino brasileiras. 


Fonte: https://www.dci.com.br/servicos/gasto-com-educac-o-e-ciencia-em-baixa-1.740424


Comentários da notícia