Inovação em escala, milhões aprendendo

18/05/2018 - Mudanças não podem ser só coisas para quebrar a rotina, elas têm de estar ligadas a habilidades.

Pouco depois da aprovação pela Assembleia das Nações Unidas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4, que pretendia assegurar que todos os jovens concluíssem o ensino médio e aprendessem, o respeitado centro de pesquisas Brookings lançou uma iniciativa chamada ?millions learning? (milhões aprendendo).

A ideia era estudar inovações em educação com potencial para ganhar escala e assegurar que a aprendizagem pudesse, de fato, acontecer, especialmente entre os mais pobres.

Acabaram selecionando 14 inovações que se destacaram por afetar positivamente a aprendizagem de muitos alunos e por ter o potencial de replicabilidade.

Entre elas, há uma experiência no estado do Amazonas: um centro de mídia irradia por satélite para escolas instaladas na floresta aulas dadas por professores da rede estadual, que dificilmente chegariam a localidades tão distantes.

O sucesso da iniciativa está centrado em algumas ideias simples, como a de roteirizar o processo de ensino, junto com um professor especialista da própria rede, a de contar com um mestre generalista em cada escola, que faz a mediação com os alunos, e a de possibilitar a interação deles com o mestre instalado no centro de mídia em Manaus.

Com isso, alunos do ensino médio, muitos deles indígenas, podem contar com aulas de física e química ? áreas em que há falta de professores?, mesmo estando em pontos de difícil acesso.

Outras inovações ocorrem no Brasil, muitas delas associadas a processos pedagógicos ativos que possibilitam maior engajamento dos alunos, contribuindo para um aprendizado aprofundado e formando o aluno de forma mais plena.

Algumas utilizam metodologias como a aprendizagem baseada em problemas ou projetos e aproximam a escola da comunidade, tentando educar não apenas para o mundo do trabalho como para o exercício da cidadania.

Mas como dar escala a essas práticas, garantindo que todos aprendam e que, como estabelece o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4, o aprendizado possa ser traduzido em resultados efetivos e relevantes?

Inovações em educação não podem afinal ser apenas coisas diferentes para quebrar um pouco a rotina.?Elas têm que estar ligadas a habilidades a serem desenvolvidas.

O segredo é criar políticas educacionais abertas à experimentação, investir numa melhor formação do professor que lhe possibilite planejar práticas para pôr o aluno num papel mais ativo na aprendizagem, avaliar sempre os resultados e criar uma cultura de colaboração nas escolas e dentro de redes de ensino, para que iniciativas promissoras ganhem escala.



Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/claudia-costin/2018/05/inovacao-em-escala-milhoes-aprendendo.shtml


Comentários da notícia